quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Popstar - Rede Globo - Torcida para o Cláudio Lins - #TeamClaudioLins


De uns tempos para cá a Globo tem investido em umas atrações menos pífias. A começar pelo Ding Dong do Faustão. Agora temos esse novo programa, Popstar, que nos mostra a faceta musical de famosos que são mais conhecidos em outras áreas. Se a situação brasileira, no geral, anda degradante, com figuras assombrosas como o golpista vampiresco Michel Temer, os defensores do Bolsonaro e a burguesia classe média arcaica a todo vapor, imagine a Cultura... Meu Deus, as pessoas andam a ofender de forma veemente Chico Buarque, Caetano e Gil, chamado-os de nomes inconfessáveis quase todos os dias, e a juventude está no fundo do poço fazendo companhia para a Samara do filme O Chamado. Então, qualquer pontinho fora da reta, mesmo sendo dessa emissora, já é um alento.

Sim, eu gosto de televisão. E assisto muito. Eu fui criada assim, lá na década de 90, assistindo reprises de boas coisas porque, graças a Deus, minha mamãezinha incentivou bastante o meu começar cultural. Sendo assim, o meu novo divertimento é esse programa do Plim-Plim,  aos domingos, lá pelas tantas do meio-dia.

E nessa onda dos pais, eu tenho que dizer que a minha torcida é todinha para o lindo aí do lado - o Cláudio Lins. Se você não sabe, caro (a) leitor (a), ele é ator, cantor, compositor, pianista e mais além. Já assisti muitas novelas com ele, aliás, todo mundo aqui de casa. Entretanto, neste momento, o lado musical dele está em evidência e o que tenho visto defini-se pelo deleite.

Bem, só pelo sobrenome já dá para ter uma noção. Ele é filho do grande Ivan Lins, que, por favor, dispensa apresentações (olha aí a playlist do lado para saboreá-lo.) e da Lucinha Lins, uma grande atriz consagradíssima, que também é cantora. O DNA familiar bateu e agregou geral, pois o moço tem a voz quase igual ao do pai, sério mesmo, e, se duvidar, é a versão geneticamente modificada para melhor, pois ele é bem mais afinado que o Mestre Pai.

Eu não sei se ele ganhará essa edição. Depois de umas cinco semanas, o público, acostumado à zoeira e a péssima MPB atual, devagarzinho, quase parando, começa a entendê-lo e conhecer a sua história. Eu detesto a participação do público quando trata-se de talentos musicais, pois é como dar o poder de decisão para um gambá com demência.

Enquanto ele durar no programa, estarei vidrada na TV.

Vou deixar os vídeos das apresentações dele com a Reação (React) de um youtuber muito bom, o músico Márcio Guerra Canto. As performances na íntegra estão no site e no aplicativo do GloboPlay (clique aqui). Tenho quase certeza que vão amar!

Primeira Semana - Com a música Dinorah, Dinorah, Ivan Lins (a voz está igualzinha!)


Segunda Semana - Com a música Corsário, João Bosco/Elis Regina


Terceira Semana - Fé Cega, Faca Amolada, Milton Nascimento & Beto Guedes


Quarta Semana - Fora da Ordem, Caetano Veloso


Quinta Semana - Expresso 2222, Gilberto Gil


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Querido (a) leitor (a), obrigada por ler e comentar no Café Quente & Sherlock! Espero que tenha sido uma leitura prazerosa. Até a próxima postagem!